sábado, 9 de março de 2013

9º Capítulo

E pronto foi desta, eu sei que devia ter postado cinco ou seis dias, mas para além de ter ficado sem net, aconteceram-me uns problemas, e pronto acabei por não conseguir postar, por isso desculpem mas para compensar, acho que este capítulo está bom, por isso, beijinhos e espero que gostem


(Matic)

Depois do beijo que ela me deu estava 100% certo de que ela é a mulher da minha vida, mas ela separou os nossos lábios e desatou a correr, pensei que tinha feito algo de mal, e daí para a frente tive a certeza porque nas horas depois nem uma mensagem me mandou. Estava a desesperar, até que pensei que pudéssemos falar no lanche que a andreia ía dar e esperei, até que já no lanche ela se chegou a mim.

- Podemos falar?

- Claro que sim.

- Desculpa ter saído dali assim a correr sem te dizer absolutamente nada, eu sei que fui parva, estúpida até, mas fiquei nervosa, sem saber o que pensar, sinto que te amo, mas tenho medo de sofrer, quer dizer, és um jogador de futebol, e o que sou eu?! Uma rapariga simples que anda na faculdade e que obviamente não tem um corpo de modelo, que é o que normalmente vocês gostam.

Quase não tomei atenção ao que ela disse depois do “sinto que te amo”, mas apercebi-me de algo que era absolutamente mentira, ela tinha um corpo lindo, modelo ou não, era ela quem eu admirava, era ele quem eu queria. E num impulso beijei-a, não aguentei não o fazer, era impossível olhar para ela e, naquele momento, conseguir controlar-me minimamente, eu desejava-a mais que tudo.

(Inês)

Amei quando ele me beijou daquela maneira, só queria sair dali e ir para um sítio calmo com ele, e não sei como, ele deve ter percebido isso, pois olhou para mim, sorriu e pegou-me pela mão. Despedimo-nos do resto dos meninos e meninas e seguimos para casa dele.

(Matic)

Ela adormeceu no caminho para casa, e eu sabia que ela tinha aulas na faculdade de manhã, e sabia perfeitamente que ela tinha de se levantar às 7h30, por isso tirei-a do carro pegando-a ao colo, entrei em casa e deitei-a na cama, tapei-a e desci para a sala, pus-me a ver televisão, o sono não vinha, devia ser dos nervos por ter jogo no dia seguinte, sim, o Benfica vai jogar às 20h15 contra o Braga na nossa casa, por todo o lado se ouvia que ia estar casa cheia mas os meus nervos mostraram-se maiores porque ela ia la estar, a Inês disse que ia.

Ouvi passos nas escadas, olhei para trás e vi-a, com uma camisola minha vestida, linda, linda, com o cabelo todo despenteado e carinha de sono, só me apetecia correr até ela e beijá-la mas não o fiz, não fazia a mínima ideia de como estávamos.

(Inês)

Acordei, vi que estava escuro e num quarto que não era o meu, estava dorida, tirei as calças de ganga, despi o meu casaco e abri a gaveta de onde tirei uma camisola que me ficava um vestido e deduzi logo que fosse dele, aquele cheiro, reconhecê-lo-ia em qualquer lado.

Ouvi barulho na andar de baixo e resolvi descer quando o vi no sofá a olhar para mim com aquela casa linda e olhar matador que sinceramente me derrete toda.

Cheguei-me a ele e precisava mesmo de lhe dizer tudo aquilo que pensava, tudo aquilo que sentia, eu tinha à minha frente o homem da minha vida, ganhei forças e comecei.

- Preciso de te dizer algumas coisas, achas que podes ouvir-me até ao fim?

Ele acenou afirmativamente com a cabeça e eu lá comecei.

- Então, eu sou das pessoas mais tímidas que pode existir, coro imenso com elogios e com as atitudes certas e nestes últimos dias, corada é o que mais me deixas ficar, não sei como e muito menos porquê, eu estou completamente apaixonada por ti desde o primeiro olhar que trocámos, senti-me especial em cada momento que estiveste comigo, fazes e dizes coisas que me deixam completamente fora de mim, ainda não te tenho e já morro de medo de te perder.

Sinto que cada momento contigo pode ser vivido sem pressas, sem erros. Eu amo-te e não vou lutar mais contra isso, quero-te para mim, ponto!

(Matic)

Não consegui dizer absolutamente nada, até porque sentia exactamente o mesmo, eu sou completamente apaixonado por ela, sem conseguir aguentar mais, beijei-a , beijei-a de uma forma calma mas cheia de desejo, ou vi ela dizer quanto nos beijávamos “vamos para o quarto”, peguei-a ao colo, apertando-a bem contra mim, e subi as escadas em direcção ao meu quarto.

(Inês)

Senti-o agarrar-me com desejo e pensei no que ele quereria, e eu não me sentia preparada, mas no momento em que ele me pousou na cama pensei que não o poderia desiludir e quando me preparei para lhe tirar a camisola, ele parou-me.

*** 
(Joana)

O lanche prolongou-se e quando o Matic e a Inês se despediram de todos, começámos também a ir embora, a Daniela veio ter comigo e saímos juntas da casa da Andreia e do Fábio, a noite estava boa, por isso decidimos ir a pé. Vi o Javi a passar e não resisti a acenar-lhe, só mesmo para provocar.

(Javi)

Como o carro estava longe decidi sair quando as meninas se começaram a despedir. Eu bem tentei aproximar-me da Joana no lanche, mas ela foge de mim, provoca-me e eu gosto disso, quer dizer, eu desejo aquela miúda, põe-me louco.

Vi-as a passar e mais uma vez a Jú decidiu provocar-me, acenando-me, e eu fui ter com elas, não aguentei.

(Joana)

Ele pediu à Dani para me roubar um minuto e perguntou-me porque me fui embora daquela forma na noite passada, e para o provocar ainda mais um bocadinho, apenas sorri, encolhendo os ombros.

(Javi)

A Daniela apareceu, deu dois beijos na cara da Jú e despediu-se de mim com um “até amanhã Javi”, pois tinha mesmo de ir-se embora, e eu sem me conseguir controlar, beijei-a.
(Joana)

Ele beijou-me como quem estava a precisar daquilo desesperadamente, deixei-me levar durante um pouco e depois mordisquei-lhe o lábio, olhei-o nos olhos, virei-me e fui embora dizendo apenas “boa noite Javi”.

***

(Mariana)

Fomos o caminho todo na conversa, eu adorava cada vez mais a companhia dele, ainda por cima, ele, que eu já considerava perfeito, mesmo antes de o conhecer. Chegámos ao parque das nações e sentámo-nos num banco a aproveitar aquela noite linda, quando ele meteu conversa.

- Qual é o teu maior sonho?

- Isso é fácil, conseguir tirar o meu curso de economia, e o teu?

- Obvio que é chegar o mais longe possível no mundo do futebol, visto que é algo de que gosto realmente.

(Rodrigo)

Ela cada vez me fascinava mais, principalmente quando soube que o seu maior sonho tinha a ver com os estudos e o futuro dela, em vez de luxos e coisas fúteis.

- Rodrigo?

- Sim?

- Tu gostavas de casar e ter filhos?

- Claro, e amava que fosses,…

- Fosses? Quem? eu?

- Não, não, que fosse alguém de quem,.. Hum,.. Eu gostasse de verdade.

Que estupidez que fui dizer, quer dizer, é obvio que vou casar e ter filhos com alguém que eu goste de verdade, como ela, sim, porque eu amo-a e ia deixando que ela percebesse, o que não pode acontecer de todo, não quero estragar esta amizade.

(Mariana)

Quando ele disse “fosses” senti-me parva pelo que disse a seguir, mas foi porque queria mesmo saber, quer dizer, eu amo-o, obvio que queria ser eu a mãe dos filhos dele. Estava a sentir-me nervosa e queria mesmo ir para casa.

- Bem, vamos? É que já é tarde e amanhã tenho aulas, logo de manhã.

- Sim, claro.

(Rodrigo)

Levei-a a casa e quando chegámos ela agradeceu.

- Obrigada, já há muito tempo que não falava assim com alguém.

Deu-me um beijo no canto da boca e saiu do carro. Não aguentei esperar mais, saí do carro e fui atrás dela.
***
(Rúben)

Senti-me mal por ter tratado a mulher da minha vida daquela maneira, mas a verdade é que ela é a minha primeira namorada e tenho medo de envolver-me com ela à frente deles todos, e não sei, gozarem ou reagirem mal, mas a verdade é que estava a morrer por dentro. Vi-a a despedir-se e fiz o mesmo, corri para a conseguir apanhar.

- Diana, espera por favor.

(Diana)

Só queria sair dali o mais rápido possível, aquilo era tortura, aliás, só de olhar para ele me estava a custar imenso, até que ouvi a voz dele a dizer-me para esperar, não o devia ter feito, mas parei e virei-me para ele.

- O que queres?

- Di, desculpa, eu posso explicar.

- Não podes explicar coisa nenhuma, achas bem o que me fizeste? Achas normal tratares-me assim sendo nós namorados? Tu desiludiste-me muito Rúben, acabou aqui.

(Rúben)

O meu mundo estava a desmoronar-se, então quando ela disse que tinha acabado, caiu de vez.

- Não Di, por favor, eu amo-te muito mesmo e eu fiz isto porque tive medo da reacção de todos eles. Tu és a minha primeira namorada, ainda não sei bem como reagir, por favor, perdoa-me, eu sou completamente louco por ti miúda.

Disse eu aproximando-me dela. Tudo o que tinha acabado de dizer era a pura das verdades, eu não queria, nem podia perdê-la, senão a minha vida não fazia qualquer sentido.

- Vá lá Di, perdoa-me.

Disse agarrando-a pela cintura, beijando-a e como que fazendo beicinho.

(Diana)

Ele estava a conseguir com que eu o desculpasse e senti que as suas palavras eram verdadeiras, por isso desculpei com a condição de que o nosso grupo saberia que namoramos.

- Eu desculpo mas com a condição do nosso grupo de amigos saber.

- Sim, se quiseres mando já mensagem a todos a dizer que estamos juntos amor.

- Não é preciso isso, amanhã é o jogo, e aí que vamos esperar por vocês nas bancadas, dizemos.

- Concordo, e agora já podemos estar bem? Podes dar-me um beijo?

Beijei-o e senti-me noutro mundo, porque apesar de estar magoada, continuo a amá-lo da mesma maneira ou ainda mais até.

(Rúben)

Sentia-nos bem de novo, por isso arrisquei e perguntei se ela queria que eu a levasse a casa ao que ela respondeu que sim. Entrelaçámos as nossas mãos e fomos para o meu carro.

***

(Daniela)

Afastei o rapaz que veio directamente na minha direcção para me beijar e queria ir esclarecer as coisas com o David, mas ele já se tinha ido embora.

Quando estávamos no lanche o David mal me olhava e eu também não tive coragem de lhe falar.

(David)

Vi a Dani ir embora e pouco tempo depois fui também. Estava a olhar para o telemóvel e acabei mesmo por receber uma mensagem da Daniela a tentar explicar-se. Acabei por lhe ligar.

(Daniela)

#Chamada#

- David, por favor, eu nem conheço o rapaz, achas que estava à espera de tal coisa? Tu já te tinhas ido embora mas eu empurrei-o com toda a força, e ia, obviamente falar contigo e esclarecer as coisas.

- Hum, Daniela?

- Sim?

- Podes abrir a porta?

- Estás aqui? Mas sim, claro que posso.

#Fim da chamada#

- David desculpa.

- Tudo bem Dani, eu é que reagi a quente, até porque fiquei cheio de ciúmes.

(David)

Nunca tinha admitido a ninguém que estava roídinho de ciúmes, mas a Daniela era diferente, e eu estava louco por ela. E num impulso a Dani beijou-me.

***

(Sara)

Fiquei completamente de rastos, mas no lanche sempre tive o apoio do meu amor e era nele que tinha de me apoiar senão a minha vida estaria uma lástima. Depois seguimos para minha casa.

(Nelson)

Estava triste porque a minha princesa estava a sofrer e eu nada podia fazer.

- Amor tu estás bem?

- Nem por isso. Já viste bem? Chateou-se porquê se já cá não está outravez?! Não aguento ter uns pais assim. Mais valia não me terem tido se era para isto.

- Ei, nunca mais voltes a dizer uma coisa dessas ouviste? Se não fosses tu eu não estaria bem agora, eu contigo sinto-me vivo, sinto-me importante. Tu és parte de mim.

(Sara)

- Podes ficar cá comigo esta noite amor?

Perguntei-lhe num impulso, pois queria-o a dormir comigo, na minha cama.

- E queres que fique onde?

- Quero que fiques comigo, na minha cama.

***

(Fábio)

- O lanche foi bom amor, não achas-te?

- Sim achei amor, mas o David e a Dani estavam estranhos e a Catarina e o Nolito nem apareceram.

- Oh princesa, não fiques triste, não se deve ter passado nada de mais, mas se estás assim, amanhã perguntas quando tiverem juntas no jogo sim meu amor?

- Sim príncipe.

- Então e achas que agora podemos concentrarmo-nos só em nós princesa?

Provoquei-a, abraçando-a e enchendo-a de beijos, aproveitando para a despir.

(Andreia)

- Acho muito boa ideia amor, é assim uma prenda de anos antecipada bebé.

- Mas se quiseres pode ser antecipada e no dia e ainda no dia a seguir princesinha.

- Tanta piada menino Fábio.

Pus-me por cima dele, fazendo em que fosse mais fácil para ele conseguir acabar de me despir, visto que tudo o resto já estava espalhado pelo chão do quarto. Provoquei-o de maneira a que ele entrasse em excitação máxima.

(Fábio)

Não aguentei mais e penetrei-a o mais suavemente que pude, mas cheio de desejo, eu amava cada vez mais aquela mulher. Toda ela entrou em puro êxtase, e sentia que o amor que tinha por ela era recíproco.

- Amor, não achavas giro amanhã, visto que é o teu dia de anos, descobrires que estavas grávida?

***

(Nolito)

Não consegui ir ao lanche e ver a Catarina, ela não me ia falar e eu ia sentir-me a morrer, deixei-me ficar na sala, mas não estava mesmo a aguentar este sofrimento e decidi ir até à casa dela.
(Catarina)

Não estava a sentir-me nada bem por causa do que aconteceu com Nolito e não sei porquê estava realmente fraca e sentia-me assim mal disposta. Deixei-me ficar pela sala a ver um puco de televisão para ver se me distraía. Tocaram à campainha e quando abri a porta deparei-me com o Nolito ali na minha frente, só tive tempo de fechar a porta, mas ele pôs o pé impedindo-me de a fechar por completo.

- Deixa-me entrar, eu só quero falar contigo.

- Fala daí, não quero que me vejas neste estado.

- Sabes, eu não estou melhor. Eu estou a sofrer imenso por isto, achas que é o quero?! Achas que te queria nesse estado, eu sou maluco por ti, achas que fico bem por saber que magoei a pessoa que mais amo?! A sério Catarina, pensa nisto, eu não te faria sofrer até este ponto, mas eu acima de tudo percebo e vou esperar por ti.

- E se for muito tempo?

- Eu espero o tempo que for preciso, sejam cinco minutos ou cinco anos, e porquê?! Porque te amo.


 

4 comentários:

  1. Olá :)
    Já tinha saudades :$
    Para ser sincera já não me lembrava de alguma partes da história, mas a maneira como está escrito o capitulo ajudou bastante :)

    Matic&Inês - Acho que ele parou porque não a quer forçar a nada.

    Javi&Joana - A rapariga está mesmo a fazê.lo sofrer :p

    Rodrigo&Mariana - Espero que ele lhe dê mesmo um beijo :D

    Rúben&Diana - Está com medo o rapaz, mas aposto que os amigos vão ficar contentes por ele.

    David&Daniela - Acho que bem que façam as pazes ;)

    Nelson&Sara - Ele é um querido, e está sempre lá para a apoiar *-*

    Fábio&Andreia - *Noites Calientes*

    Nolito&Catarina - Espero que fiquem juntos, estão chateados por causa de uma anormal qualquer se bem me lembro...

    Assim que puderes: Próximos :P
    Beijinhos
    Daniela^^

    ResponderEliminar
  2. Está perfeito princesaaa, ameiii mesmooo!
    Como já te tinha dito, ameii mesmo a parte do Matic e da Inês,está mesmoo perfeitoo, e adorei os outros, óbvio, mas hoje estes dois foram assim diferentes e super fofinhos..
    Bem, já sabes que quero muito o próximo, e se precisares de ajuda já sabes, estoy aquí :p
    Beijinhos, amo você <3

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito (;
    Sigo a historia desde o inicio mas nao me lembro e alguma vez comentei ;s
    Espero pelo próximo ;b
    Beijinhos

    Nii'i

    Ps: se quiseres espreitar o meu blog e deixar a tua opiniao: http://simples-rascunhos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Amei! Amo os casais todos!
    O Matic e a Ines foram os mais fofinhos! E o Rodrigo foi atrás da Mariana será que vai haver beijo? Bem o resto também adorei claro! E espero que o Nolito e a Catarina se intendam!
    Vou já ler o 10°!

    ResponderEliminar