domingo, 25 de novembro de 2012

7º Capítulo *parte II*

Oii, tudo bem como vocês? Espero que sim, aqui vai a segunda e ultima parte deste capítulo, espero que gostem e comentem muito sim? tenho de saber se gostam :c


(Rúben)

- Está tanto frio. - disse ela a tremer quando entrou no carro.

- Pois está. - disse tocando nas mãos dela que estavam geladas.

- Vamos andando para tua casa que lá está quentinho de certeza.

- Sim vamos.

 Fomos o caminho todo na conversa, ela é mesmo engraçada e cada vez mais gosto da companhia dela.

(Diana)

Chegámos a casa do Rú, como eu gosto de carinhosamente chamar ao Rúben.

- Queres ver um filme? - perguntou ele aproximando-se consideravelmente da minha cara, fazendo-me corar.

- Sim, comédia romântica tens? - disse eu tentando resistir àquele pedaço de homem.

- Eu tenho todo o tipo Di, escolhe, estão naquela prateleira. - dito isto fui em direcção à tal prateleira, quando tropecei no tapete que ele tem no chão da sala e fui contra ele.

(Rúben)

Senti a Di vir contra mim e reparei que ela tinha tropeçado, o que me fez rapidamente agarrá-la. Sentir a sua respiração tão perto de mim dava comigo em maluco. eu só queria beijá-la, abraçá-la, eu já estava completamente doido por ela. Não aguentei, tive de fazê-lo.

(Diana)

Depois de uns minutos numa troca de olhares em que eu adoraria saber em que é que o Rú estava a pensar, sinto os lábios dele colarem-se nos meus de uma maneira verdadeiramente suave.

- Desculpa, não aguentei. - disse ele quando fez aquilo que eu menos queria, que era separar os nossos lábios.

- Não tens de pedir desculpa, tu tiveste coragem de fazer o que eu...

(Rúben)

Tenho a certeza de que ela ia dizer que também o queria ter feito, por isso nem a deixei acabar e beijei-a outra e outra vez. Nem filme, nem jantar, ficámos assim umas boas horas, as melhores da minha vida.

***

(David)

Fui preparar o nosso jantar, um bacalhau com natas que tenho a certeza que ela vai adorar. Ela ficou na sala enquanto eu punha a mesa lá fora e acabava de fazer o jantar. a mesa estava boa, pelo menos espero que sim. Acabei de tirar o bacalhau do forno e fui buscar a Daniela à sala.

(Daniela)

- Fecha os olhos e deixa-te levar. - Pediu o David agarrando a minha mão.

Eu fechei os olhos e quando ele me deu permissão para os abrir estávamos nós no jardim dele, e a mesa estava verdadeiramente linda, haviam rosas espalhadas, as cadeiras com flores a decora-las, uns copos lindos de cristal e o bacalhau com natas no centro da mesa que está sinceramente bastante apetitoso.

- Então gostas? - perguntou ele com aquele sorriso lindo.

- Não! Adoro David, isto está espectacular, eu nem tenho palavras para descrever tudo isto, mas obrigada, adoro mesmo.

(David)

Isto só agora tinha começado, mas eu esperava que ela gostasse do resto que eu lhe tinha preparado. Eu quero conquistá-la, ela para além de ser linda, é uma pessoa fantástica por ser simpática, carinhosa, e super divertida. Fui ligar a aparelhagem e ela fechou os olhos, deduzi que gostasse desta musica.

- Queres dançar Dani? - Perguntei, agarrando-a pela cintura.

- Claro. - disse ela pondo as mãos à volta do meu pescoço.

Passado uns minutos de estarmos assim bem agarradinhos a dançar, tive de dizer-lhe que era melhor ir-mos comer, pois aquilo frio não tinha graça nenhuma, ao que ela concordou.

- Uau, isto está delicioso David, vou começar a encomendar-te comida. - disse ela piscando-me o olho.

- Ainda bem que gostas. Não, eu prefiro que venhas cá comer.

- Ai é? Então eu venho sempre que quiseres.

(Daniela)

Acabámos de jantar e ficámos à conversa, mas já era tarde, por isso tinha de ir para casa.

- David, não me leves a mal, mas já é tarde, eu tenho de ir embora.

- Não tem mal nenhum, eu levo-te.

- Obrigada. - foi impossível não corar com aquele sorriso.

Quando chegámos à porta da minha casa senti que ele me olhava atentamente, olhei também para ele e dei-lhe um beijo mesmo no canto da boca, tocando ao de leve um pouco nos lábios dele.

- Adeus, até amanhã, beijinhos.

(David)

Que eu estava apanhado por ela já não me era novidade, agora que ela também o estava por mim,.. pelo menos pareceu-me que sim, com aquele beijo de despedida.

- Vens ver-me ao caixa?

- Claro que sim.

- Então, beijos, até amanhã, gosto muito de ti Dani.

- Também gosto muito de ti David.

***

(Sara)

Naquele momento senti o Nelson puxar-me para dentro do carro dele e começámos a andar.

- Onde me queres levar com tanta rapidez?

- A um sitio que de certeza que vais adorar.

- Estou ansiosa, então.

(Nelson)

Eu queria levá-la a passear a um sitio especial, então preparei o que tinha a preparar e fui buscá-la.
Adorei que ela dissesse que estava ansiosa, não sei a razão, mas logo no primeiro dia senti uma ligação especial com ela.

- Chegámos. - Disse, abrindo-lhe a porta.

- Nelson, porque é que estamos na praia a estas horas?

- Porque queria fazer-te uma surpresa.

- Aquilo é comida?

- Sim é. Preparei uma espécie de jantar para nós, aqui, à noite, na praia.

- Oh meu deus, eu adoro isto, pensas-te em tudo, até velas há. - Disse ela abraçando-se a mim.

- Sara, eu sei que o que te vou dizer tu podes não acreditar, mas tenho mesmo de dizer.

- Não tenho razões para não acreditar, diz lá.

- Eu sinto que te adoro desde o primeiro dia em que te vi, deste aquele berro quando ainda estavas do lado oposto ao nosso, naquele dia, na esplanada do café perto da casa do Fábio. Chegas-te ao pé de nós e fiquei sinceramente rendido à tua beleza, ao teu sorriso, ao teu ar trapalhão, mas também resmungão. Acho que me identifiquei contigo logo nesse momento. Depois foi o dia do treino, em que não te falei, e já te expliquei porquê, mas não parei um momento de pensar em ti e no quanto és linda, por isso, sim passaram apenas poucos dias, mas sinto que te conheço há anos, e quando no inicio disse que te adoro, enganei-me, eu sei que te amo de verdade.

- Eu nem sei o que dizer, não estava de todo à espera, mas sim, acho que posso fazer minhas as tuas palavras, amor à primeira vista acontece e é maravilhoso.

Nisto, fui-me aproximando dela, deixando que fosse ela a dar o próximo passo, se quisesse, e assim foi, quando dei por mim estava ela a beijar-me da forma mais apaixonada que alguma vez tinha sentido.

***

(Fábio)

Como eu gostava deste momentos com a minha princesa. Senti-la minha era como ir ao céu e voltar, ela é perfeita e eu faço questão de lho dizer todos os dias.

- Então amor, queres ir comer alguma coisa?

- Não tenho fome nenhuma amor, o que eu quero mesmo é ficar agarradinha a ti. - Disse ela enroscando-se no meu peito.

- Amor, eu amo-te cada vez mais sabias? - Disse fazendo festinhas no cabelo lindo que ela tem.

- Ai é? Hum, pois não sei, se tu o dizes. - Disse ela dando-me beijos nas bochechas.

- Pois claro que é ó tonta, anda cá. - Puxei para mais perto de mim e comecei a beijá-la.

(Andreia)

Ela começou a beijar-me, e eu como sempre a amar os beijos e tudo o que ele me faz. Ele é o melhor namorado do Mundo, disso eu tenho a certeza absoluta.

***

(Nolito)

Eu nem acreditava que tinha mesmo feito esta pergunta à Catarina, e ansiava muito nervoso pela sua resposta, quando a sinto a chegar mais perto de mim, até que estávamos a apenas pouco centímetros um do outro.

(Catarina)

Eu não estava 100% certa do que responderia, por isso optei mesmo por não responder e acabei por seguir o coração e quando dei por mim estava a escassos centímetros dos lábios do Nolito, até que algo que eu não estava à espera aconteceu.

- Estava a ver que não te encontrava amor.

Ela sentou-se descaradamente no colo dele e chamou-lhe 'amor', fiquei para morrer.

- Epá tu desaparece-me daqui Tatiana, eu disse que não te queria ver mais, sai daqui. - Ele estava mesmo irritado, mas mal ele acabou de falar, ela apressou-se a beijá-lo o que me deixou de lágrima no canto do olho e me fez sair dali o mais rápido possível.


E pronto, após quê? umas 10 tentativas, consegui postar. Comentem muito, beijinhos

Eu queria pedir-vos uma coisa minhas lindas, que é: quem quer escrever comigo o 8º capítulo?

Que irritação , grrr !

Eu sei que já não devem estar por aqui mas como disse que postava por volta destas horas e não postei venho dizer-vos que eu tenho o capítulo todo acabado e pronto a postar, mas a porcaria do blog não deixa.  

Ou seja, isto chega a um certo número de palavras que PUM, desaparece-me tudo, já tentei postar 4 vezes e não deu, até pus tudo no word para copiar e colar, mas desaparece na mesma, por isso peço imensas desculpas, mas mais logo volto a tentar, beijinhos e desculpem mais um vez leitoras lindas

sábado, 24 de novembro de 2012

Inspiração ♥

Então é assim minhas meninas, eu estou neste momento a escrever o resto para ver se posto hoje, mas se não conseguir hoje, posto amanhã mas deve ser tipo lá para a 00.00 e tal porque hoje vou ao lindo e maravilhoso Estádio da Luz, apoiar o melhor clube do Mundo *-*

Enfim, aqui estão algumas musicas que ultimamente oiço muito e me servem sinceramente de boa inspiração:

One Direction - they don't know about us.


Lady Antebellum - Just a kiss.

Lady Antebellum - Need you now.

Hedley - Perfect.

Tracy chapman - Fast car.


Gostam? Beijinhos meus amores

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

7º Capítulo *parte I*

Olá, bem este capítulo está dividido em 2 partes, pois as duas pessoas que comentaram pediram, espero que gostem e comentem, beijinhos

Inês decidiu ir para casa, quando se despediu de Matic, mas parecia que a cada dia que passava, pensava mais nele e lhe era mais complicado dizer-lhe um ‘até amanhã’.

(Inês)

Caramba só o conheço à pouquíssimos dias, como é possível sentir-me assim, afectada? Por amor de deus tira-o da cabeça, ele é um jogador, do Benfica, nunca irá para ti dessa forma! Que nervos Inês, pára de pensar nele, pára!

De: Matic
Para: Inês
‘olá, já estás em casa? Beijinhos.’

De: Inês
Para: Matic
‘ Sim estou, porquê?’

De: Matic
Para: Inês
‘estou à tua porta, desce, vem jantar comigo.’

De: Inês
Para: Matic
‘Sim, sim, nem sabes onde moro, tolo.’

De: Matic
Para: Inês
‘Não sei? Desce então, pedi a morada ao Fábio, ele namora com a Andreia, ela sabe este tipo de coisas.’

Eu não acredito, eu a tentar parar de pensar nele e ele aparece-me aqui, isto só a mim, quero ir com ele, mas não devia, ele é de mais para mim, um jogador de futebol, do me Benfica, a querer sair comigo e ainda por cima eu estou a ficar demasiado interessada nele. Ai mãezinha!

#Chamada#

Matic – Inês, anda lá, desce.

Inês – Dá-me 5 minutos, estou a acabar de me arranjar.

Matic – Ok, beijinhos.

#Fim da Chamada#

Ok, respira, e pronto, aqui vou eu sair com aquele bombom, controla-te Inês, controla-te!

(Matic)

Não queria nem um bocadinho que ela se fosse embora, por isso liguei ao Fábio, porque ele namora com a Andreia e elas são amigas, saberia de certeza onde mora a Inês. Queria ir busca-la, estar com ela, só esperava que não dissesse que não.
Passado uns minutos estava estacionado à porta de casa dela, que era relativamente perto da minha. 
Decidi mandar-lhe mensagem, mas ela não acreditou que eu estava mesmo à porta dela, o que me fez ligar-lhe, e surpreendi-me com ela, por dizer que estava pronta em 5 minutos. Não sei porquê mas fiquei com um sorriso na cara ao vê-la, será que significa mais do que eu pensava?
A verdade é que ela mexeu comigo, mas depois da Jéssica, voltar a confiar em alguém irá ser complicado, mas a Inês é especial, e sinceramente está a fazer-me bem conhecê-la.

- Nem acredito que estás mesmo aqui.- Disse ela meio envergonhada, o que me fez, automaticamente, sorrir, ela era incrivelmente linda.

- Vamos passear primeiro, pode ser?- perguntei.

- Claro, e obrigada pela surpresa.- Agradeceu corando.

- Faço-o sempre que quiseres.

Ela sorriu, e para mim aquele tornou-se o melhor sorriso do mundo.

***

(Joana)

Passado alguns minutos de estarmos a falar por mensagens, o Javi ligou-me, disse-me a morada dele e desligámos. Tive a sensação que tudo isto era muito esquisito, conheço o Javi à muito pouco tempo e já tenho este tipo de confiança, e ainda mais estranho é eu dar-me a este tipo de confiança, não sou nada assim, mas aqueles olhos, aquele sorriso, eu não resisto, e agora aqui vou eu a casa dele sem saber o que me espera, se bem que por ser ele, vai ser uma noite fantástica, ele é aquele homem que eu considero perfeito, o meu tipo de homem.

(Javi)

A voz dela era mesmo aquilo que eu precisava de ouvir, em tão pouco tempo consegui sentir a falta dela, o que acho sinceramente estranho, mas ao mesmo tempo bom. Estava a acontecer tudo tão rápido.

(Joana)

Estar aqui à porta dele e não saber o que vai acontecer está a corroer-me por dentro, decidi finalmente tocar à campainha e não é que o Javi me aparece em tronco nu e enrolado numa toalha?! Ai, este homem quer enlouquecer-me e está quase a descobrir como o fazer.

- Olá, desculpa Joana mas pensei que demorasses mais tempo a chegar.- disse ele com aquela carinha de envergonhado.

- Não faz mal, é um recepção diferente, que não deixa de ser boa.- ok eu disse mesmo isto? 

Controla-te Joana, por favor, pensava eu para mim enquanto ele soltava uma sonora gargalhada.

- Podes entrar, eu vou só vestir-me e vou já ter contigo à sala.- Eu só pensava para mim que ele era ainda melhor do que eu alguma vez pensara, aqueles abdominais, ai, ele deixa-me mesmo descontrolada.

Eu entrei naquela enorme casa onde literalmente me atirei para o enorme sofá do Javi.
- Então vamos fazer o jantar?

- Ai que susto Javi, não podias ter falado quando chegasses aqui ao pé de mim?- perguntei eu completamente assustada, visto que estava completamente retida nos meus pensamentos e nem ouvi os passos do Javi.

- Tem calma, foi sem querer, agora para te esqueceres vamos masé fazer o jantar, estou cheio de fome e tu também deves ter.- Disse o Javi super preocupado. Obvio que ele já estava cheio de fome, vida de jogador de futebol, comer, comer, comer, mas sim, eu também já estava com um “buraco” no estômago.

- Não faz mal, já passou ó esfomeado, e sim vamos fazer o jantar.

- Esfomeado? Devias correr o mesmo que corro todos os dias, e ter os mesmos treinos que eu, ias ver que não paravas de comer.- Disse o Javi em tom de brincadeira começando a correr atrás de mim pela sala.

- Ai já chega Javi, não aguento mais. – Disse eu sem controlar o riso, já estava realmente cansada.

Deitei-me no sofá e quando reparei tinha o Javi apoiado com as mãos no sofá com a cabeça por cima da minha, a olhar-me com aquele olhar que eu considero “matador”.

(Javi)

Comecei a correr atrás dela por toda a sala, e a Joana não parava de se rir, e quando ficou cansada atirou-se para o sofá, vê-la ali deitada com um sorriso naqueles lábios, significava tudo para mim naquele momento. Aproximei-me dela e apoiei as mãos no sofá, fazendo com que a minha cara ficasse na direcção da dela.

- É melhor ir-mos jantar. – Disse ela parecendo atrapalhada, o que me fez automaticamente sorrir.

- Estás a sorrir porquê Javi?

- Ficas-te atrapalhada, e ficas fofinha quando o estás.

- Muita piada menino Javier, vá anda lá, o que vamos fazer?

- Lasanha, gostas?

- Adoro, acredita, vou comer imenso.

- Não te preocupes, vamos devora-la os dois. Ajudas-me?

- Claro, vamos a isso.

***

(Mariana)

No resto do dia até chegar as horas para ir para o Colombo, eu parecia maluca, eu sempre fui do Benfica, então quando entrou para lá o giraço do Rodrigo, meu deus, ando uma fã incondicional, nem acredito que o conheci quanto mais que vou sair com ele. Mas ele pareceu-me tão querido que fiquei mesmo com vontade de o conhecer melhor. Cheguei ao Colombo e liguei para o Rodrigo.

#Chamada#

Rodrigo – Oi, já chegas-te?

Mariana – Sim, e tu vens a caminho?

Rodrigo – acabei de chegar. Estou na entrada principal, vou sair do carro para me veres.

Mariana – já te vi, até já, beijinhos.

Rodrigo – beijinhos.

#Fim da chamada#

- Olá, estás bom? – Perguntei um pouco envergonhada, sim eu já tinha estado com ele, mas toda eu tremia só de o ver, só de falar ou estar com ele.

- Olá, agora estou bem melhor. Vamos então?

- Que querido, sim claro. – eu devia estar da cor da camisola do Benfica, vermelha, vermelha, vermelha. Isso é uma coisa que odeio em mim, coro muito facilmente, e ele não ajuda, visto que está constantemente a ser querido.

(Rodrigo)

Fui praticamente o caminho todo a desviar o olhar para a Mariana, e ela sempre a corar mais e mais um bocadinho, ela era mesmo querida, tem um cabelo loiro natural e uns olhos azuis que me deixam louco. Eu acredito e sempre acreditei em amor à primeira vista, mas nunca soube do que se tratava realmente, mas acho que desde que conheci a Mariana comecei a perceber. Não me vou precipitar, mas que desde o primeiro olhar ela não me é indiferente, não é.

- Chegámos, gostas do ambiente?

- Uau, isto é lindo Rodrigo, obrigada por me teres trazido cá. – Disse ela completamente deslumbrada.

- O que queres beber?

- Eu não sou muito de bebidas alcoólicas, aliás fazem-me um pouco de mal, por isso, sumo de laranja natural se faz favor.

Fui buscar as bebidas e quando cheguei estava ela perdida nos seus pensamentos, pois não reagia por nada, e eu já a estava a chamar à um tempo.

- Ei, Mariana, estás a ouvir? Tens aqui o sumo.

- Ai, desculpa, não estava a prestar atenção.

- Não faz mal, olha conta-me coisas de ti.

- Não preferes fazer perguntas e eu respondo?

- Por mim pode ser.

- Então vá, começa.

- Tens que idade?

- 20 Anos.

- Onde nasceste?

- Em Espanha, mas vim para Portugal, mais propriamente para o Algarve, porque a minha mãe é portuguesa mas o meu pai é espanhol.

- A sério?

- Sim, conheceram-se quando o meu pai veio para o algarve de férias, começaram a namorar, passado algum tempo casaram-se e por isso o meu pai acabou por ficar por aqui.

- e já foste a Espanha alguma vez?

- Sim claro, a terra do meu pai é Madrid, e adoro, acho que é uma cidade linda.

- Então e sobre o Benfica?

- Sou benfiquista já desde a barriga da minha mãe, e sempre adorei o Benfica, mas dou mais atenção desde à pouco tempo para cá, visto que não morava em Lisboa e me era muito complicado vir a um jogo que fosse e claro desde que tu entraste tomo bastante atenção e não estou a gozar.

- Ó que querida, tu és uma rapariga especial, desde o dia em que te conheci, no treino. Quero que continuemos a encontrarmo-nos, estou a amar esta noite.

Manter uma distância adequada da Mariana estava a ser complicado, o que fiquei a conhecer dela fascinou-me, mas como o que é bom acaba depressa, ela disse que no dia a seguir tinha de se levantar cedo, acabámos por ir embora. Levei-a a casa e fomos o caminho todo na conversa, ela é mesmo daquelas pessoas com quem se consegue falar de tudo. Chegámos a casa dela e despedimo-nos, quando ela saiu do carro foi como que um aperto no coração, queria estar mais tempo com ela, chamei-a, ela virou-se e sorriu-me, e podia ler nos seus lábios um “Obrigada, gosto muito de ti”, aquele sorriso lindo que me derreteu e me deixou a tremer por dentro.
De uma coisa eu já estava bem ciente, eu estava irremediavelmente apaixonado pela Mariana.

domingo, 11 de novembro de 2012

I need your help.

Minhas lindas, o capítulo está enorme e quando o digo é literalmente,(porque eu escrevo os capítulos em folhas brancas A4 frente e verso e já lá vão 6) e ainda não acabei, mas eu precisava que vocês me dissessem o que querem que eu faça:

  • Divido o capítulo em 2 partes e posto hoje uma e amanhã outra;
  • Esperam até amanhã e posto tudo.

Eu propus estas hipóteses só pelo facto de ter dito que postava hoje, mas só o disse porque achava mesmo :c

Preciso mesmo que respondam, beijinhos

sábado, 10 de novembro de 2012

Oii .

Olá minhas bonequinhas lindas, então é assim, eu no post anterior pedi-vos desculpa porque realmente é mesmo difícil escrever, 11º ano está a ser horrível, e tenho mesmo de me esforçar para tirar boas notas, por isso mais uma vez peço-vos imensas desculpas, mas eu hoje adientei imenso do capítulo e estou muitíssimo inspirada e com vontade de escrever, e como para a semana só tenho teste de inglês, (que sou relativamente boa), acho que consigo postar o 7º capítulo amanhã .

Adoro-vos e não deixem de me seguir, beijinhos